Instituto de Constelações Familiares Brigitte Champetier de Ribes / Brasil

Rendição, reconciliação

Brigitte Champetier de Ribes, 14 de abril 2020

Rendição, reconciliação.

Não posso entender a vida sem estas duas palavras. Não posso viver caso não me renda em cada momento a tudo que não entendo e me custa aceitar. Necessito reconciliar-me com tudo e com todos, a cada passo, a cada notícia.

Rindo-me a minha raiva, ao meu medo, a minha culpa, as minhas angústias.

Reconcilio-me comigo mesma, sou como sou, acolho toda essa dor interna que viaja de geração em geração desde que a vida existe. Está em sua ordem planetária, o universo continua expandindo-se, a humanidade também. O amor cresce.

A vida continua. De salto quântico em salto quântico. Imprevisível, exceto para algo maior.

Hoje é diferente de ontem.

Cada agora é diferente.

Inclui todos os "ontens" e inclui o agora de cada pessoa.

O agora é imenso, ilimitado; tudo pertence ao agora, minha pena, seu medo, seu sorriso, o sol, a guerra, o cosmos, tudo e todos.

Hoje será o ontem de amanhã, e esse novo presente será o fruto das nossas escolhas de ontem.

Poderes ocultos? Intenções malévolas? A humanidade está em perigo? Manipulações secretas? Sim.

Tudo isto está a serviço do Destino Coletivo.

Detrás dos poderes econômicos ocultos existe outro poder oculto. Algo maior, com seu amor em ação.

A reconciliação individual é a alavanca da evolução da humanidade.

A reconciliação cria, a reconciliação gera saltos quânticos, a reconciliação cura.

Eu sou como sou, o outro é como é.

Abro-me ao outro, ao que mais me pesa, a aquele que não entendo. Ele também tem seu lugar, tem sua missão, ele também é necessário como é.

Juntos nós estamos a serviço de algo totalmente novo. Todos nós caberemos.

O amor cresce e nos alcança na rendição que leva à reconciliação.