Instituto de Constelações Familiares Brigitte Champetier de Ribes

Textos selecionados



Você pode nos deixar seus dados e teremos o maior prazer em lhe enviar informações sobre as atividades do Instituto. Para isso, visite nossa nuestra página de contato.
Obrigada.



"Eu escolho a vida" a cada hora em ponto

Convidamos você, a cada hora, a criar uma nova vibração ao redor do mundo, dizendo “EU ESCOLHO A VIDA” junto com milhares de pessoas. Todos juntos a serviço da vida.












Quantos são necessários?

Gregg Braden

O pioneiro trabalho de Kart Pribram e as investigações de outros científicos posteriores mostram que nossos cérebros funcionam como processadores holográficos de informação. Se isto é certo individualmente, tem sentido que nossa mente coletiva e nossa consciência também funcionem assim. Na atualidade o planeta Terra tem mais de seis mil milhões de habitantes (e mentes).

(…)

Independentemente do diferentes que pareçam entre si, cada mente contém o padrão da consciência total. E através deste vínculo, cada um de nós tem acesso direto à totalidade do padrão. Em outras palavras, todos nós temos o poder de mudar o holograma do nosso mundo. Embora para algumas pessoas esta seja uma maneira pouco convencional de pensar em quem somos, para outras está perfeitamente alinhada com suas crenças e experiências.

Os estudos científicos respaldam estes princípios.  Comprovaram que quando as pessoas dentro de um grupo compartilham uma experiência comum de consciência, os efeitos podem ser detectados além do próprio grupo e inclusive fora do edifício em que os indivíduos estavam reunidos. Fica óbvio que as experiências internas estão sendo transmitidas através de alguma via sutil e de uma forma que não se rege pelas chamadas leis da física, nem está limitada pelo entorno imediato. Um exemplo deste fenômeno é evidente no efeito que a Meditação Transcendental (MT) pode exercer sobre grandes populações.

Em 1972, 24 cidades dos Estados Unidos com populações de mais de 10.000 habitantes experimentaram câmbios significativos em suas comunidades quando tão somente um 1% (100 personas) participou nos estudos. Os participantes usaram técnicas específicas de meditação para criar as experiências interiores de paz que posteriormente foram refletidas no mundo exterior. Chamamos isto de “efeito Maharishi”, em homenagem a Maharishi Mahesh Yogi, o qual afirmou que quando um 1€ da população praticasse os métodos de meditação que ele propunha, produzir-se-ia uma redução da violência e do crime nessa população.

Estes e outros estudos similares levaram à realização de um projeto que se transformou em um acontecimento histórico, o “Projeto Internacional de Paz em Oriente Médio”, publicado em 1988 no Journal of Conflit Resolution. No início dos anos oitenta do século passado, durante a guerra entre Israel e o Líbano, vários praticantes foram adestrados em técnicas específicas da Meditação Transcendental para que pudessem criar paz em seus corpos (em vez de simplesmente se limitarem a pensar na paz ou a rezar para que chegasse).

Em determinados dias do mês, a certas horas do dia, estas pessoas foram colocadas nas regiões de Oriente Médio desgarradas pela guerra. Durante o espaço de tempo em que elas estiveram em paz, reduziu-se o número de ataques terroristas, de crimes contra as pessoas, de visitas de emergências e de acidentes de tráfico. Quando os participantes interromperam sua prática, as estatísticas pioraram novamente. Estes estudos confirmam os resultados anteriores: quando um pequeno percentual da população acede a um estado de paz interior, essa paz reflete-se no mundo exterior.

Os resultados tinham em consideração os dias da semana, as férias e inclusive os ciclos lunares; e eram tão consistentes que os investigadores puderam determinar a quantidade mínima de pessoas que deviam experimentar a paz interior para que esta paz se refletisse no entorno: a raiz quadrada do 1% da população. Isto representa somente a quantidade básica necessária para que o efeito possa começar – quanto maior o número de pessoas que participe mais marcado será o resultado. Mesmo que não possamos compreender totalmente todos os motivos pelos quais se produzem estes efeitos, as correlações e os resultados demostram que existem. Podemos aplicar estes princípios em qualquer grupo humano, trate-se de uma pequena comunidade, uma congregação religiosa, uma grande cidade ou o planeta todo. A fórmula para determinar quantas pessoas são necessárias para trabalhar para a paz e cura dentro de um grupo humano é a que vem na sequência:

  1. Calcular o número total de pessoas.
  2. Calcular o 1% do número anterior ( multiplicar o total por 0,01).
  3. Calcular a raiz quadrada do 1% obtido.

Esta fórmula produz números que são menores do que poderíamos esperar. Por exemplo, em uma cidade de um milhão de pessoas, o total é aproximadamente 100. Em um mundo de seis mil milhões de habitantes, o total é somente umas 8.000 pessoas. Este cálculo só representa a quantidade mínima para iniciar o processo. Quanto maior for o número de pessoas que participem mais rápido se expandirá o efeito.

Embora este e outros estudos similares mereçam obviamente serem explorados mais detalhadamente, mostram que existe um efeito que está além do azar.

A quantidade mínima de pessoas necessárias para iniciar um câmbio de consciência é a raiz quadrada do 1% da população total.

Extraído de "La matriz divina" de Gregg Braden

Vejam também:

  • Pribram: the Magellan of Brain Science, www.sybervision.com/golf/hologram.htm
  • "International Peace Project in the Middle East", The Journal of Conflict Resolution
  • “El experimento de la Intención”, de Lynne Mc TAGGART, ed. Sirio

www.theintentionexperiment.com