Instituto de Constelações Familiares Brigitte Champetier de Ribes

Textos selecionados



Você pode nos deixar seus dados e teremos o maior prazer em lhe enviar informações sobre as atividades do Instituto. Para isso, visite nossa nuestra página de contato.
Obrigada.



"Eu escolho a vida" a cada hora em ponto

Convidamos você, a cada hora, a criar uma nova vibração ao redor do mundo, dizendo “EU ESCOLHO A VIDA” junto com milhares de pessoas. Todos juntos a serviço da vida.












Ordenar nossa vida

Poderosa ferramenta que nos libera dos padrões passados e dinamiza o momento presente. Pode repetir-se depois de ter vivido algo importante que demora a se tornar passado.

1. Escolha um comportamento rotineiro

2. Primeiro, escolha uma ação fácil, “neutra”, que repita todos os dias da sua vida, como lavar os dentes, tomar banho, etc.

3. Observe a localização das imagens

Presente

Lembre ou imagine-se hoje fazendo esta ação.

Onde está a imagem, mesmo sendo vaga?

Com sua mão, mostre onde vê a imagem: diante de você, perto, longe, à direita, à esquerda, detrás de você, dentro do seu corpo, etc.

Passado

Agora, imagine que se lembra de faz uma semana, você com esta ação, onde está a imagem da lembrança?

Com sua mão, mostre no espaço.

Agora, imagine-se faz um ano, fazendo isto, onde está a imagem?

Agora, imagine-se faz 10 anos, depois faz 20 anos, depois na sua adolescência, depois na sua infância. Onde está cada imagem?

Adapte estes prazos a sua vida, para cobrir cada etapa importante.

Futuro

Agora, imagine-se dentro de uma semana com esta ação, onde o vê?

Faça a mesma coisa para dentro de um ano e dentro de cinco.

4. Mudar a ordem da sua vida

Mudar esta organização temporária da sua vida, realizada por nosso cérebro, significa uma modificação muito profunda que desequilibra toda a estabilidade conseguida graças as nossas adaptações, proteções e fidelidades.

O faremos, então, com muito cuidado. E o resultado será uma grande liberação que observaremos em médio e longo prazo, às vezes, em curto prazo.

Ficaremos atentos a qualquer desconforto que apareça, será o sinal de que não podemos deixá-lo como está, e continuaremos as propostas indicadas para melhorar a sensação.

Respeitar o que existe

Digo o que vem a seguir:

Honro a organização atual da minha vida.

Agradeço-lhe por ser como é.

Peço, respeitosamente, ao meu inconsciente (ou guia, ou energia superior, ou…) que guarde em um lugar, seguro e totalmente disponível, todas as aprendizagens que fiz graças à ordem atual da minha vida, de modo que possa utilizar estas aprendizagens cada vez que as precisar, obrigado.

Esperam-se uns 4 ou 5 segundos.

O processo

Imagine todas estas imagens como fotos em uma única fita, que começa no lugar do seu nascimento, no passado, e termina no lugar do seu morto, lá no futuro.

Observe todas as voltas que a fita dá.

Agora, se for destro, levante o braço esquerdo na horizontal para a esquerda, e diga para seu inconsciente:

Querido inconsciente ordene toda minha vida do modo mais cômodo e produtivo para mim, para meu maior bem e desenvolvimento.

Por exemplo, colocando todo meu passado ao longo do meu braço esquerdo e além, e meu futuro, na frente e para a direita.

Olhe (sem ver nenhuma imagem especial) para seu passado à esquerda, para seu futuro na frente, durante uns segundos, para observar como se sente. Tem que conseguir ficar totalmente cômodo com a mudança.

Se perceber um mal-estar peça ao seu inconsciente o que vem a seguir:

Querido inconsciente adapte esta reorganização com a maior flexibilidade e criatividade para meu maior bem.

Se for necessário, peça-lhe que coloque as lembranças desagradáveis em preto e branco, bem pequenas, e as lembranças boas, com cor, luz e grandes, e se for necessário, mais à vista.

5. Melhorar a percepção de nossa vida

Dê uma nota de 0 a 10 para o passado, o presente e o futuro.

Agora, realizaremos mudanças de percepção para que a nota alcance o máximo que hoje pode alcançar.

O passado: olhe-o com profundo respeito e agradecimento, mesmo que hoje ainda não entenda tudo.

Preencha-o de uma cor salmão, ou de outra cor, se for mais agradável para você. E avalie a sensação que agora lhe produz seu passado, de 0 a 10.

O futuro: observará que se modificou sozinho. Convém que esteja no campo visual direito. Sua representação é mais imprecisa do que o passado, poderá conter obstáculos que se respeitarão. Introduza tudo o que possa fazê-lo mais atrativo: profundidade, luz, cores, calor, som ou música, cheiro ou perfume, paisagens.

E avalie a sensação que agora lhe produz seu futuro, de 0 a 10.

O presente: por fim, voltamos à imagem do presente que está na nossa frente. Modificá-la-emos se for necessário para que resulte a maior e a mais luminosa e atrativa possível: modifique as cores, coloque a imagem talvez um pouco dissipada ou, ao contrário, muito clara, introduza calor, ar, algo em movimento, som, cheiro, também objetos, paisagens, pessoas, como em um patchwork.

Até que fique o mais atrativo, estimulante ou esperançoso possível.

Observe que seu passado já não está na frente de você como antes, já não se impõe.  Seu presente já pode ser totalmente criativo. E quando precisar de algum recurso, você mesmo decidirá olhar para esse passado e para o que lhe ensinou.

Quanto ao seu futuro, liberou-se também. E quando olhe para seu presente verá, de soslaio, o futuro, como um estímulo, como algo que o puxa para frente.

E avalie a sensação que agora lhe produze seu presente, de 0 a 10. E fique com essa sensação.

O exercício terminou.

6. Observações sobre a desordem

Frequentemente, um momento difícil do passado fica em frente de nós, na parte do presente, porque havia muito que aprender desse momento. Porém, isto fazia que tendêssemos a repetir esse momento.

Para outros, a adaptação a algo difícil foi feita enterrando no chão a lembrança ou a etapa correspondente. Ou ocultando-a detrás de nós. Foi um modo de nos proteger, porém nos impediu toda a aprendizagem dessa etapa.

Outros momentos foram vividos de um modo tão intenso que a lembrança ainda não estava dentro do corpo: impossível ficar distantes deles, impossível abrir-se a algo novo, estávamos cheios desse passado.

O futuro, em vez de estar à direita, estava à esquerda, como algo que já passou. Ou seja, não há futuro.

Ou bem, o passado estava na parte direita, invadindo o futuro: nosso futuro era repetir o passado.

Adaptação da ferramenta comentada em “Cambia tu mente para cambiar tu vida... y conserva el cambio. Novas submodalidades en programación neurolingüística”, de STEVE & CONNIRAE ANDREAS, 1987, Gaia Edições, 1997, 3º edição.