Instituto de Constelações Familiares Brigitte Champetier de Ribes

Textos selecionados



Você pode nos deixar seus dados e teremos o maior prazer em lhe enviar informações sobre as atividades do Instituto. Para isso, visite nossa nuestra página de contato.
Obrigada.



"Eu escolho a vida" a cada hora em ponto

Convidamos você, a cada hora, a criar uma nova vibração ao redor do mundo, dizendo “EU ESCOLHO A VIDA” junto com milhares de pessoas. Todos juntos a serviço da vida.












Medos e fobias

Este exercício é dos que fez famosa a PNL pela sua eficiência. Pode utilizar-se para todos os medos que temos: de dirigir, de uma prova, de alguém… O exercício está descrito para utilizá-lo uma só pessoa. Porém, se quisermos trabalhar uma fobia teremos que fazê-lo com um terapeuta.

1. Reenquadre do medo

Primeiro, percebemos que esse medo que queremos trabalhar nos permitiu adaptar-nos a um perigo, foi uma aprendizagem muito rápida. Nosso inconsciente é capaz de aprender novas respostas com a mesma rapidez.

A “parte do nosso inconsciente” responsável de produzir essa resposta de medo tem sempre uma intenção positiva.  Agradecemos-lhe, e informamos-lhe de nosso desejo de mudança, que continuamos precisando proteção, porém, já não diante desse perigo, e vamos atualizar a informação para que essa parte possa nos proteger melhor.

2. Ancoragem de segurança e calma

Vamos criar-nos uma ancoragem de calma e segurança (ver nos exercícios de PNL) e a utilizaremos cada vez que sintamos insegurança.

3. Procurar qual pode ser a lembrança mais distante

Procurar qual pode ser a lembrança mais distante desse medo. E se utilizará esta primeira lembrança de medo.

4. Imaginando a tela de um celular a vários metros de distância

Projete em preto e branco a cena traumática, a toda velocidade. Você percebe que, com a distância, quase não a vemos. Com um controle remoto, comece com uma imagem anterior à cena, depois, desenvolve-se a cena, e pare sobre uma imagem posterior que se congele na tela.

Agora, com o controle remoto, a cena se rebobina, muito rapidamente e em preto e branco, até chegar à primeira imagem.

Reproduza a cena assim, em preto e branco e muito rápido, até que sinta que não lhe afeta.

Agora, coloque cor, e mais lento. Continue afastando o celular. E passe a cena para diante e para trás, várias vezes, até não sentir nada diante dela.

Você percebeu como sobreviveu a essa situação e se sente bem.

Ajude-se constantemente da ancoragem de segurança e calma.

5. Apague o celular e descubra a intenção positiva

Apague o celular e descubra a intenção positiva da parte de seu inconsciente que lhe criou esse medo. Agradeça-lhe.

6. Em uma tela grande de cinema, a cores.

Agora, você vai pedir ao seu eu menor (de quando a primeira experiência de medo) que reviva uma última vez, nessa tela grande e a cores, esse momento de medo, primeiro muito rápido, para frente e para trás. Você se coloca dentro de seu eu pequeno, está na tela grande.

Várias vezes, muito rápido, até que perceba que não lhe afeta.

7. Abrace seu eu mais jovem.

Diga-lhe que sobreviveu à experiência, que cresceu e melhorou, que você, seu eu adulto, vai cuidá-lo e protegê-lo, que esse momento acabou e que já é tudo diferente. Diga-lhe todo seu amor e seu agradecimento.

E agora, decidam, entre os dois, o que fazer com esta nova força disponível, a força que tinham que gastar para alimentar o medo.

8. Ponte para o futuro.

Imagine-se, depois de uns dias, diante da situação que lhe criou o medo e observe o que sente agora.