Instituto de Constelações Familiares Brigitte Champetier de Ribes / Brasil

Textos selecionados



Você pode nos deixar seus dados e teremos o maior prazer em lhe enviar informações sobre as atividades do Instituto. Para isso, visite nossa nuestra página de contato.
Obrigada.



"Eu escolho a vida" a cada hora em ponto

Convidamos você, a cada hora, a criar uma nova vibração ao redor do mundo, dizendo “EU ESCOLHO A VIDA” junto com milhares de pessoas. Todos juntos a serviço da vida.












Constelação de Empresas

II Treinamento intensivo, Barcelona 2009

Empresa familiar

Uma observação que pude fazer em Constelações Familiares é que os filhos, frequentemente, querem seguir seu próprio caminho, além do apoio da mãe, porque com esse apoio, ela determina o futuro.

Mais outra observação: uma empresa deseja, às vezes, seguir seu próprio caminho, independentemente dos fundadores.

A imagem final desta constelação de uma empresa familiar foi: os filhos ficam livres e, ao mesmo tempo, conectados. Isso é o que devemos considerar.

Alguns empresários querem perpetuar sua empresa. Porém, uma empresa tem seu tempo de vida: um começo, um ponto culminante e depois, se atenua. Mas, pode renovar-se com um novo começo, que provém de outra parte, não do fundador. Esse se retira e entrega a empresa a outras forças. Então, poderá renovar-se. Por exemplo, a observação que fiz: uma empresa tem um nome determinado, às vezes, o nome do fundador, como Ford. Se hoje falássemos de Ford, alguém se lembraria do homem? O nome relaciona-se com o produto, o fundador está esquecido faz muito tempo. Está bem assim. Se relembrássemos uma e outra vez do fundador, o produto perderia importância. A vida prossegue de muitas maneiras diferentes. Se os pais se retirassem os filhos tomariam seu caminho, o produto é também um filho. Então, o empresário olha para a empresa com benevolência e fica em segundo plano. Que acontece com a empresa? Terá mais ou menos força? Mais, evidentemente. É algo que devemos considerar.

Pergunta: Uma vez que vimos a constelação e sabemos como fica, o que podemos fazer para mudar os resultados?

O que vimos é que os representantes são movimentados por outra força. A esta força ninguém pode resistir. Tampouco podemos manipulá-la. Isso nós já vimos. Inclusive, conseguimos ver qual poderia ter sido a solução. Porém, o que vimos na última configuração é que alguns representantes não desejavam essa solução. Na constelação ainda anterior a esta, o homem viu claramente a solução e assentiu a ela. Adquiriu força para a solução. Na primeira constelação, ficou claro que o empresário percebeu que era o importante e, obviamente, tinha a intenção de seguir o que viu.

Na última, não ficou claro. Isto é, a solução encontrou-se, porém a força para chegar à solução não estava. E o que ainda conseguimos ver? Que é melhor morrer do que ter sucesso na vida. Aí, trata-se de vida e morte, não somente de sucesso ou fracasso. E além do mais, que jamais podemos separar a empresa da vida pessoal do empresário.

Consideremos, também, o seguinte: o que aqui vimos foi o começo de um movimento e este movimento continua. Nenhum dos envolvidos pode continuar igual que antes. Não se pode mostrar, de modo mais claro, a seriedade desta situação. Por esse motivo, Sophie e eu confiamos em que esse movimento continuará. Nós acompanhamos aquilo com benevolência. Confiamos em que algo bom resulte disso.

Pergunta realizada pela mesma pessoa: Porém, igualmente, que pode ser feito para conseguir uma solução diferente?

Vou explicar-lhe algo mais. Esses movimentos, aqui, se produzem no plano da consciência. Dentro dos limites da consciência existe um movimento de dar e tomar. Ninguém pode tirar algo do outro e ficar com isso. Sempre se dá uma compensação. Estes movimentos que vimos são movimentos do espírito. A força que se mostrou aqui se dirige a todos da mesma maneira.  Ninguém pode ser excluído. E além do mais, aqueles que excluíram outros também estão a serviço desta força. Também são amados por ela. O que vimos aqui como esboço de solução é um oferecimento de amor para aqueles que excluíram outros.

Vemos como o sucesso de uma empresa depende de condições que os empresários não consideram de forma alguma. Vemos como nossa vida pessoal e as relações em nossa vida pessoal estão ligadas, indissoluvelmente, com o fracasso ou com o sucesso de uma empresa, e que devemos alcançar as raízes para solucionar o decisivo. Aqui conseguiram ver esta forma de proceder, “ir com o movimento do espírito nas constelações”, abre uma solução para as situações aparentemente sem saída.

Até agora, não tivemos muito trabalho e, no entanto, vimos muitas soluções para empresas assim como para as fases de arranque. Como poderíamos ajudar melhor as empresas que desta forma? Aqui, aprendemos a ver as interconexões e a aplicá-las.

 O que vimos hoje pela tarde foi, especialmente, como uma situação familiar tem sua influência na empresa.

O que agora gostaríamos de mostrar são as interconexões dentro da empresa, por exemplo: Que produto escolher? Ou bem, que futuro terá o produto escolhido? Ou, uma empresa deseja expandir-se, ir para outra cidade, para outro país, que futuro terá isso? Ou, um empresário deseja fusionar-se com outra empresa, qual é a probabilidade de sucesso? Veremos situações concretas que têm a ver com os assuntos das empresas.

O apoio da mulher

Podemos frequentemente, observar que a contribuição da mulher não é valorada. No entanto, de fazê-lo, não interferiria com o amor, acabamos de vê-lo.

Temos a imagem de que a mulher apoia o homem. Porém, quem apoia primeiro? Quem serve ao outro primeiro? Conseguiram senti-lo?

O homem serve á mulher, no sentido de um serviço à vida. E, nesse sentido, a importância da mulher pôde expressar-se na constelação. Também podemos vê-lo em empresas familiares. A quem a empresa é transmitida? Ao primogênito, mulher ou homem. Isso desempenha um papel.

Existe outra coisa importante sobre as relações homem/mulher. Se uma mulher tiver uma empresa herdada dos seus pais, ou se foi fundada por ela própria e depois se casa, onde estará o lugar do homem? No momento em que a mulher inclui o homem na empresa, este a arruinará, sempre. Averigúem! Nada mais perigoso para uma empresa que o esposo da mulher: ele tem que provar suas capacidades em outro âmbito.

Ao contrário, quando o homem cria uma empresa ou a herda dos seus pais, incluindo nela sua esposa, melhorará a empresa. São meras observações, porém podem averiguá-las.

Hellinger: Alguém tem alguma pergunta?

Apresenta-se uma mulher (que já constelou sua empresa com Hellinger pouco antes).

Mulher: Se falarmos que é importante que o homem tenha o apoio da sua esposa para que a empresa funcione quem apoiará a mulher para que possa levar adiante a empresa com sucesso? Quem apoiará a mulher?

Tradutora: Quando fala que o homem precisa da mulher para levar a empresa adiante,.....

Hellinger, interrompendo-a: Não, não, não falei isso, não falei isso! Somente falei que a mulher apoia o homem e não que o homem precise desse apoio.

Mulher, com jeito de não compreender bem o que Hellinger falou: Quem apoia a mulher?

Hellinger não responde imediatamente, e percebemos um jeito de quem tem uma ideia maliciosa em mente. Parece divertir-se muito à medida que o tempo passa.

A mulher continua esperando uma resposta, com a expressão de que Hellinger não saberá dar. Cruza as pernas, com jeito satisfeito de quem ganha o jogo.

Hellinger demora em responder, sem olhá-la, porém cada vez mais contente.

Hellinger: Vou falar algo surpreendente. Olha para ela. Porém, não sei se irá aguentar.

Ela ri, todos riem. A pergunta é: Quem apoia a mulher?

Sua mãe!!

Mulher ( levanta-se como disparada e airada): Pô…!!

Gargalhadas na sala.(…)

Hellinger: Que conseguimos ver? Onde a relação com a mãe não se consegue, não se consegue a empresa. Ele esperava algo da sua mãe e quando teve a empresa, esperava dos clientes que lhe dessem o que esperava da sua mãe.  Ele quer receber em vez de dar. Porém, a mãe não tem que dar nada, já deu tudo. A conexão é feita através do Obrigado. Ele tem tudo e agora se coloca a serviço. E a mãe vai detrás dele, apoia tudo. Sem mãe não há sucesso.

Exercício

Fechem os olhos.

Aproximamo-nos da nossa profissão ou da nossa empresa.

Do nosso lado está o sucesso.

 Sentimos aonde deseja ir.

Ou talvez, para aonde vai. Ou de quem se afasta. 

Seguimo-lo.

De que maneira? Com determinação.

Onde ficariam os empresários que se comportaram como terapeutas? Que aconteceria conosco na terra? Eu acabo de me comportar como um empresário: Um empresário exige! E com isso consegue o sucesso.

O papel do pai

 Pergunta: Falamos muito do papel da mãe na empresa. Desejo saber que papel tem o pai.

 Hellinger: Aqui vimos que a pessoa excluída, muitas vezes é a mãe. Por este motivo, tem um papel especial. Se eu olhar para uma família, quem será o centro nela? A mãe. Em uma família, sempre é a mãe que decide.

 Havia uma vez um homem que queria encontrar um homem verdadeiramente sábio. Pensava que este homem sábio encontrava-se em um lugar específico. Foi visitar muitos homens sábios de renome e ofereceu-lhes algo que tinha para vender. Queria saber se encontraria uma pessoa que realmente se decidisse por si própria pela compra. Recorreu o mundo, não encontrou ninguém. Fez uma última tentativa. Aproximou-se de um sábio e lhe propôs dois cavalos, um branco e um preto. O homem falou “tomo o branco”. Nosso homem ficou muito contente. Respondeu-lhe: “venho amanhã com o cavalo”. No dia seguinte o trouxe. Estava a esposa, falou: “não, não, tomamos o preto”. Nosso homem renunciou a procurar mais.

Ótimo, pois assim faço algumas brincadeiras!

O que significa patriarcado? É uma ação desesperada dos homens. Porque as mulheres são as mais significativas. O que faz o homem, então? Serve á mulher, com amor. E as mulheres? Seguem o homem, com amor.

 O homem adquire importância se a mulher o respeitar. Então, terá importância. Existem poucas mulheres que realmente respeitem o homem, porque se sentem melhores. Então, tiram os filhos do homem e dizem: eu posso fazê-lo sozinha. Isso tem consequências graves para os filhos e para a mulher. Que acontece com a mulher? Fica somente como mulher. O que o homem oferece como força e o modo como ele introduz os filhos no mundo, isso se perde.

Aqui, nas empresas, se a mulher respeitar o homem, ele receberá uma força especial para a empresa e a dirigirá realmente. Porém, se a mulher for embora, quanta força lhe restará! Isto é, a mulher lhe dá apoio. Então, os dois se farão um e a empresa será o filho comum.

O homem tem força e a mulher, mesmo que às vezes fique em segundo plano, mantém o conjunto. Isso, nós já vimos. O homem irá para o primeiro plano e poderá fazê-lo se a mulher estiver detrás.

Será diferente quando a mulher tiver a empresa. O homem cria sua própria empresa. Tem que se esforçar para ser igual à mulher. E se conseguir, como influenciará na sua relação de casal? Ambos independentes e ao mesmo tempo um.

É um modelo bonito.

Algo mais podemos observar. Em Sevilha vimos isto durante um exercício. Quando um filho olhar para o pai, e do lado do pai se encontrar um representante para o mundo, então o filho poderá olhar para o mundo. Assim, pode sair do âmbito da mãe e é introduzido no mundo pelo pai. Sem pai, o filho perde a conexão com o mundo. Sem pai, o filho é inadaptado à vida.  Na última constelação, o vimos. Os filhos adquirem força para atuar de maneira autônoma graças ao pai.

Acredito que recoloquei a honra dos pais!

A necessidade de mudança

Pergunta: Fiquei com uma dúvida importante referente ao que falou, de que a empresa tem um começo, um momento álgido e um momento de fechamento. Por outra parte, vimos que o que era o produto principal de uma empresa devia manter-se. Através da crise, muitas empresas tiveram que se reduzir. A pergunta concreta: A fidelidade dos clientes às empresas antigas pode afetar às novas empresas menores que agora se organizam?

Hellinger: Não compreendo tudo, porém não importa. Tudo o que é criado é novo. Não existe produto velho. Somente se for novo, prosseguirá em seu caminho, por estar suportado pelo antigo. Se esse produto se mantiver sem mudança, não haverá demanda. Esse seria o movimento de base. Se uma empresa tiver dificuldades, o que lhe faltará á empresa? O novo. Os clientes querem algo novo.

Vou falar algo, em geral, referente ao sucesso. Existem muitos jovens que têm sucesso. Por exemplo, um corredor de carros. Muitos triunfos. Um tenista, muitos triunfos, deseja um triunfo mais. Alguém deseja mais uma vitória? Ou cansaram-se já de todas as anteriores? Reflexionem.

 Quem teve grandes sucessos e tornou-se famoso, deve parar. O que lhe trazem os sucessos passados? Sem novas vitórias, carecem de valor. Quem olha para o passado é inapto à vida. E a mesma coisa acontece com uma empresa.  Os sucessos passados não trazem nada, somente o novo.

Fim

Os dias do evento que passamos com todos vocês foram muito bons, cheios de vida e sucesso. Agradecemos a todos que o fizeram possível e aos que atuaram em segundo plano.

E fazemos com vocês, como os pais com seus filhos, olhando para o sucesso dos filhos. Eles vão embora e os pais ficam olhando. Fazem-lhes sinais e olham-lhes. Vocês vão embora e nós ficamos para trás…mas voltaremos…