Instituto de Constelações Familiares Brigitte Champetier de Ribes

Textos selecionados



Você pode nos deixar seus dados e teremos o maior prazer em lhe enviar informações sobre as atividades do Instituto. Para isso, visite nossa nuestra página de contato.
Obrigada.



"Eu escolho a vida" a cada hora em ponto

Convidamos você, a cada hora, a criar uma nova vibração ao redor do mundo, dizendo “EU ESCOLHO A VIDA” junto com milhares de pessoas. Todos juntos a serviço da vida.












Ajudar um morto a terminar de morrer

Para ser feito por uma só pessoa ou entre duas.

Para ser feito por uma só pessoa ou entre duas.

Este exercício pode fazer-se de vez em quando, sem propósito prévio, colocando-se a disposição do campo, para ajudar um morto a terminar de morrer, aceitando que não sabemos de quem se trata, nem a que sistema familiar pertence.

Também, é muito útil fazer este exercício quando nos sentimos pior.

Represente-se a você mesma, sabendo que em frente de você, a vários metros, há um morto que não está bem.

Irá se colocando, alternativamente, em você e nesse morto.

Em você, o primeiro é perder o medo e sentir um profundo respeito por esse morto. Olhe o morto nos olhos, até lhe poder dizer “tomo-o no meu coração” e inclinar a cabeça diante dele.

Depois, diga-lhe “farei tudo o que precisar”.

Perceba que o morto precisa de seu amor, de sua olhada, de seu contacto. Precisa que o toque com a mão, que o abrace, que o ajude a se deitar e a fechar os olhos.

O que importa é nunca forçar o morto, nunca ter pressa.

De vez em quando, coloque-se no morto para saber se lhe chega o que você sente (se não lhe chegar significa que você não o fez com sinceridade), ou para saber o que precisa de você.

Às vezes, precisará que lhe diga “você está morto. Tudo terminou para você. A dor, o medo, a culpa, a crueldade, tudo terminou. Já pode descansar em paz.”

E quando tenha fechado os olhos, deixe de olhá-lo, conecte-se com algo maior, depois, levante-se e vá para a vida.

Continuar chorando pelo morto, continuar abraçando-lo quando ele já está em paz, é uma intromissão.