Instituto de Constelações Familiares Brigitte Champetier de Ribes / Brasil

12 de marzo, SAO PAULO

Workshop de Nuevas Constelações Familiares

  • Aberto a todos
  • Carga Horaria: 6,5 horas
  • Entrega de material didático na sua área privada no momento da inscrição.
  • Horário: de 09:30 a 13:00 e de 15:00 a 18:00.
  • Lugar: Hotel Escola Leques Brasil, na cidade de São Paulo/S.P.
  • Organização: Eliana Medina eliana@sunya.com.br , contato@sunya.com.br

Trabalharemos diferentes temas com as Novas Constelações Familiares, desde o Centro Vazio dos representantes. Paralelamente todo o grupo fará um trabalho de aprofundamento no compromisso à vida, participando nessas constelações e realizando vários exercícios para sua própria cura e crescimento.

Brigitte dará as explicações didáticas que estejam em ressonância com a cura de cada caso e responderá às perguntas formuladas pelos participantes.

O paradoxo

Recusar algo só serve para que esse algo cresça.

Temer algo é atrair esse algo.

Somente o assentimento liberta-nos das cargas e permite que se inicie a transformação.

(…)

Para que nossos problemas falem conosco, primeiro temos que aceitá-los. Aceitar todos os limites que configuram nosso destino. Só então a vida voltará a colocar-se em movimento.

No problema está a solução, está a vida.

Que é o destino desde o ponto de vista das constelações?

Nossas vidas estão determinadas por nosso sistema familiar, e os demais sistemas aos que pertencemos. Uma observação sistêmica à que não nos podemos subtrair é a seguinte: os menores têm de terminar o que seus maiores não terminaram. Toda emoção segue um ciclo que permite acabar em paz e adaptado a um nível mais alto da realidade. Se um enfrentamento não chegou à reconciliação, se não se agradeceu um favor, não terminou de chorar um morto, um descendente terá que viver este mesmo conflito, até que se resolva. Nosso destino está marcado por várias fidelidades a ancestrais que não acabaram algo. E seus conflitos serão nossos conflitos enquanto nos neguemos a assumi-los.

A cada dia nosso destino varia, faz-se mais tênue quando assumimos algo e piora quando o recusamos…

Pelo qual o primeiro requisito antes de se propor uma constelação é assentir ao que nos toca e nos responsabilizar das consequências de todos nossos atos, emoções e pensamentos.

(…)

A constelação não vai ir além do que um põe. No equilíbrio entre dar e receber, para poder receber um presente da vida, antes há que dar-lhe algo a essa mesma vida: agradecer-lhe ser como é e renunciar à queixa. A mudança será proporcional a nossa renúncia.

(…)

Por outra parte, não existe cura individual, a cura é de todos. A solução é necessariamente uma solução boa para todos. Pelo que podemos esquecer dos detalhes do que queremos conseguir. Só as forças de cura sabem qual pode ser a solução boa para nós. E nossa abertura à vida como é permitirá que se desenvolva uma solução totalmente inesperada e boa para todos.

(…)

Sobre a representação: a constelação não é um psicodrama, não é emocional, não há que representar nada. Poderíamos dizer que é uma terapia corporal, se trata de se deixar levar por algo que impulse nosso corpo independentemente de nossas emoções ou de nosso diálogo interno. É uma meditação ativa.

Os participantes se recolhem internamente, como para estar em estado de meditação e a partir desse momento só se deixam guiar por algo que vai empurrar seus corpos sem que saibam por que. Quanto mais lento é seu movimento, mais regenerador vai ser. A qualidade da constelação depende muito da qualidade da representação: o representante em estado meditativo, sem pensamento, deixa-se levar por um movimento, que é sempre um movimento de reconciliação e de cura.

É importante recordar que o representante não tem NADA que ver com o que vai representar. É tomado por um movimento do qual simplesmente se faz o canal, o eco. Em profundo silêncio e respeito. Desde o centro vazio e o assentimento a tudo como é, o grupo de assistentes se põe a disposição da cura da pessoa que se constela, deixando-se atuar pelo campo, em completo silêncio e sem saber o que representam a maioria da vezes. Quando Brigitte o sinta, a pessoa introduz frases sanadoras ou se põe em sintonia com algo ou com alguém. A dinâmica interna da família vai-se mostrando, o emaranhamento surge.

A partir desse momento o constelador sentirá a necessidade de passar a outro nível: ver tudo, honrar e agradecer a todos os ancestrais, todos os destinos e entregar-se à vida, despedindo o passado com agradecimento e elegendo a vida.

Quando o cliente escolhe a vida tudo começa a curar-se. Todos, incluindo os mortos, experimentam uma mudança radical. Podemos denominar como um salto quântico ou uma mudança para uma nova realidade que vai acompanhada de uma abertura da consciência. Mais consciência para mais vida.

Nos damos conta que falar da visão quântica da vida é viver o amor do espírito desde o novo paradigma. Atitude quântica e entrega ao amor do espírito ou ao Centro vazio é o mesmo...

Desenvolvimento do Workshop

Todo o grupo vai ver-se envolvido em diversos exercícios sistêmicos, para todos, e nas constelações, de alguns dos presentes, de maneira que cada um vai experimentar cura de diferentes formas ao longo de todo o workshop.

O centro vazio ao que a cada um se entregou vai velar pelas tomadas de consciência e a cura de cada um. Cada um participará com sua ressonância e suas eleições em frente à vida, criando assim um grande campo no que toda cura será a cura de todos.

As perguntas permitirão enriquecer o entendimento e a informação.

Trabalharemos diferentes temas com as Novas Constelações Familiares ou Constelações Quânticas, desde o Centro Vazio dos representantes. Nestas constelações a presença do grupo, e a ressonância dos presentes, transforma-se na grande força de cura que, junto com as decisões do cliente, curarão os emaranhamentos e os sofrimentos dos ancestrais. Paralelamente todo o grupo fará um trabalho de aprofundamento no compromisso à vida, participando nessas constelações e realizando vários exercícios para sua própria cura e crescimento.

Brigitte dará as explicações didáticas que estejam em ressonância com a cura de cada caso e responderá às perguntas que se proponham sobre estas novas constelações.